All fields are required.

Close Appointment form

Implantologia

O que é um Implante Dentário? implantologia-2

» São elementos de substituição dos dentes perdidos que servem de suporte para colocação de coroas ou pontes dentárias.

– Para que serve?

» Após perda prematura de um dente a função mastigatória fica comprometida. O Implante serve para substituir o dente perdido e repôr a função oclusal e mastigatória da arcada dentária.

– Como é constituído?

» Após experiências de antepassados onde foram utilizados todos os tipos de materiais concluiu-se que o titânio é o elemento mais biocompatível no organismo. É constituído por um “parafuso“ de características especiais com medidas e tamanhos vários, para adaptação às várias necessidades. Com uma configuração e tratamento de superfície adequada às biocompatibilidades orgânicas.

– Como Funcionam?

» Após uma cirurgia minimamente invasiva, colocam-se os implantes no osso que serve de suporte à colocação do dente. Se o osso fôr consistente e a estabilidade primária do implante for boa poderá colocar-se dente imediato – carga imediata. Se não houver boa estabilidade primária dá-se um período de espera para osteointegração que por norma não ultrapassa os 2 – 3 meses.

Cuidados

– Quais os cuidados a ter com os implantes?

Tal como os dentes naturais os dentes sobre implantes necessitam dos mesmos cuidados de higiene e prevenção. Com o complexo osso/gengiva se não houver higiene cuidada pode levar à perda prematura dos implantes afectados por doenças gengivais ou osseas. A acumulação de alimentos e placa bacteriana pode provocar lesões gengivais com absorção óssea, perda de osteointegração e consequente perda do implante.

Quais as doenças que podem afectar a vida de um implante?

» Várias são as doenças que podem afectar a vida dos implantes. As doenças sistémicas, por deficiência de defesas do organismo ou metabolismo do cálcio acarretando osteoporose e rejeição do implante.

As Locais:

Osteointegração – Com a presença permanente de placa bacteriana depositada em redor do implante podem criar-se placas de tártaro, provocando a reabsorção óssea e rejeição do implante.

Tiques Língua ou Movimentação Atípica – Com micro – movimentos provocados pela pressão da língua pode levar à perda do implante. A mucosa que protege o osso onde o implante está inserido, extremamente frágil, pressionada é traumatizada com descolamento da aderência ao osso permitindo assim a infiltração micróbios e consequente doença da gengiva e do osso.

Mucosite – Primeiro sintoma reacional da gengiva perante uma situação anómala. Apresenta-se com a gengiva edemaciada, avermelhada e sangrante ao toque da escova ou instrumento de inspecção.

Perimplantite – Doença periodental com reabsorção óssea e gengiva edemaciada. Principio da desintegração do implante.

Reabsorção Óssea – Através de pressões anómalas, perimplantites, mucosites ou mesmo doenças sistémicas. O osso vai perdendo estrutura e capacidade de resistência sendo, por mecanismos naturais, reabsorvido e eliminado por vezes com sequestros ósseos levando à desintegração dos implantes.

Bruxismo – Acções para funcionais que se traduzem em movimentos rítmicos de fricção entre os dentes. Esta acção sendo permanente ou mesmo alternada pode causar sérios riscos de perda de dentes e implantes. A pressão prolongada sobre os dentes ou implantes produzem cargas anormais no osso de suporte levando por vezes a micro fracturas ou mesmo fracturas do osso. Causada por instabilidade emocional, hábitos ou tiques, é uma doença que afecta grande parte da população acarretando em consequências de desequilíbrios oclusais, posturais e traumatismos da articulação temporomaxilar “ATM” acompanhadas por cefaleias ou enxaquecas, dores de coluna, zumbidos e perda de audição com desiquilibrio coclear e disturbios oftálmicos. Necessita de tratamento nomeadamente com goteira oclusal que colocada na mandíbula e evitando a pressão entre as arcadas.

Quais os cuidados a ter com os implantes?

» Tal como os dentes naturais como “corpo estranho” inserido no organismo tem de ter cuidados especiais na sua manutenção. Como descrito atrás, as doenças que podem afectar os implantes são várias. A profilaxia destas doenças será o principal cuidado a ter para evitar e preservar a longevidade dos Implantes. Quando se dá a osteointegração perfeita e havendo uma profilaxia exemplar, vigilância e controlo por parte do médico dentista o implante pode perdurar em função o resto da vida.

– Quais os cuidados de higiene com os implantes?

» Os instrumentos existentes ao dispor como auxiliares na higiene dos portadores de implantes são suficientes para manter uma boa profilaxia.

Escova – A escovagem devidamente orientada deve efectuar-se no sentido de cima para baixo nos dentes superiores e de baixo para cima nos dentes inferiores, nunca escovar os dentes na horizontal, de forma que os nylons da escova com uma certa pressão, entrem nos espaços e removam os resíduos alimentares, massagem as gengivas e eliminem a placa bacteriana dos sulcos e papilas gengivais.

Fio Dental – Utilizar sempre fio dentário em suporte de agulha própria ou “passa-fios” para passar debaixo dos pônticos e no espaço mais crítico da prótese fixa na ligação da coroa do pilar e o pôntico.

Escovilhão – Utilizar o escovilhão que existe no mercado na versão de fino, extra fino ou normal, conforme o espaço de acesso. É um instrumento fundamental que serve para retirar a placa bacteriana e resíduos alimentares mais aderidos e massajar a papila e sulcos gengivais.

Jacto de água – Aparelho electrodoméstico que está munido de um reservatório de água e que ligado à corrente, injecta água à pressão por debaixo da prótese fixa, eliminando alguns resíduos que eventualmente não tenham sido removidos com a escova, fio dental ou escovilhão.

Duração

 – Quanto tempo dura um implante na boca?

» A longevidade de um implante ou de uma prótese fixa implanto-suportada depende dos vários factores já descritos. Há no entanto que referir que por acidente pode acontecer a fractura da prótese suportada pelos implantes.

Nestes casos e considerando a possibilidade de substituição da prótese implanto-suportada, se os implantes não sofreram fracturas substitui-se as próteses sem necessidade de substituição dos implantes.

Consultas de control dos implantes e proteses implanto-suportadas?

» Considerando que a dentição no portador de implantes, na maioria das vezes é mista, dentes naturais e dentes sobre implantes, o control deverá se fazer de 6 em 6 meses. Na consulta de control observa-se a higidez e o estado dos implantes por pequenos batimentos e se necessário por RX. Panorâmico ou Apical – R.V.G. em caso reacção local de anomalias da mucosa.

Tipos de próteses

– Que tipos de próteses existem com implantes?

» As próteses sobre implantes podem ser unitárias, mistas, totais/ prótocolos, Híbridas.

Unitárias – Para substituição de um só dente.

Mistas – Utilizando implantes e dente natural como pilar.

Totais – Quando não existem dentes naturais e se colocam normalmente 12 dentes sobre implantes que conforme os casos poderão ser entre os 4-8 implantes para os 12 dentes. Este tipo de cirurgia é denominado de “protocolo”. Acerta-se com o paciente o tratamento e conforme as condições ósseas e de estabilidade o número de implantes serão proporcionais ás necessidades da estabilidade da prótese.

Híbrida – Suportada em barra fixa sobre implantes com atachments retentores. Estas próteses são removíveis e serão necessários 2 ou 3 implantes, sendo o seu custo mais reduzido.

– A sua saúde e os cuidados de higiene dispensados aos seus dentes e implantes, são fundamentais para a preservação e bom funcionamento do seu sistema estomagnático.

Recomendações

Recomendações Pós-Operatórias de Implantes

1. Edema (inchaço ) após cirurgia é uma reacção normal do organismo. Ele atinge o seu pico máximo em cerca de 48 horas após a cirurgia e usualmente dura 4 a 6 dias. Aplicar gelo na face sobre a área da cirurgia nas primeiras 24 horas ajuda a controlar o edema e torna a área mais confortável, aplicar um creme na pele para evitar queimar a pele antes da aplicação com o gelo.

2. Evite actividade física nas primeiras 24 horas após a cirurgia. Repouse mantendo a sua cabeça elevada com almofadas. Um discreto sangramento ocorrerá no local da cirurgia. Poderá encontrar manchas de sangue na sua almofada pela manhã.

3. Algum desconforto é normal após a cirurgia. Isto pode ser controlado, com medicação prescrita, mas não eliminado. Tome a medicação exactamente no horário e na forma combinada.

4. É importante ingerir grande quantidade de líquidos. Alimentos frios e macios, como sumos, gelados, iogurtes, estes são mais confortáveis nas primeiras 24 horas após a cirurgia.

5. Deve escovar os dentes normalmente, evitando a área operada. Não faça bochechos nas primeiras 12 horas após a cirurgia. Após as primeiras 24 horas, bocheche suavemente com um anti – séptico que lhe for recomendado pelo médico, ( Edludril / Clorohexina lácer / ou similar )após se alimentar.

6. Podem surgir regiões arroxeadas na área da cirurgia. É uma resposta normal para algumas pessoas e não deve ser motivo de alarme. Eladesaparecerá em 7 a 14 dias.

7. Após a cirurgia, pode ocorrer rigidez muscular e dificuldade de abrir a boca. São reacções normais que melhorarão em 5 a 10 dias. No caso de levantamento do seio maxilar não assoar o nariz e se espirrar faze-lo com a boca aberta.

8. Telefone se tiver:
– Desconforto excessivo que não pode ser controlado com analgésico.
– Sangramento que não pode ser controlado.
– Aumento do edema após o terceiro dia da cirurgia.
– Febre.
– Alguma dúvida ou pergunta

Dr. Olívio Dias
Dr.ª Marta Dias